Trombose venosa profunda

A Trombose Venosa Profunda (TVP) é a doença causada pela coagulação do sangue no interior das veias – vasos sangüíneos que levam o sangue de volta ao coração. As veias mais comumente acometidas são as dos membros inferiores (cerca de 90% dos casos).

A TVP costuma provocar inchaço, dor, sensação de calor e em grande parte dos casos vermelhidão ou ate mesmo cor arroxeada. Esta patologia pode ser potencialmente grave, podendo acompanhar-se de uma complicação conhecida e temida, a embolia pulmonar (EP). Nesta situação, o trombo liberta-se das veias profundas, viaja através da corrente sanguínea e aloja-se na artéria pulmonar ou em seus ramos, podendo bloquear o fluxo de sangue, sobrecarregando o coração dificultando a oxigenação do sangue. Uma embolia pulmonar é uma emergência médica e quando maciça pode ser fatal num curto espaço de tempo.

Apesar de por vezes ser difícil reconhecer os sinais e sintomas de TVP, esta situação, uma vez diagnosticada, pode ser tratada de forma eficaz.

Fatores de risco:

Situações que aumentam o risco de TVP- uso de anticoncepcionais ou tratamento hormonal, tabagismo, presença de varizes, pacientes com insuficiência cardíaca, tumores malignos (câncer), obesidade ou a história prévia de trombose venosa.

Outras situações são importantes no desencadeamento da trombose: cirurgias de médio e grande portes, infecções graves, traumatismo, a fase final da gestação e o puerpério (pós-parto) e qualquer outra situação que obrigue a uma imobilização prolongada (fraturas de ossos longos, paralisias, infarto agudo do miocárdio, viagens aéreas de longas distancias, etc). Outras situações que aumentam o risco de Trombose venosa profunda e que são imutáveis são idade avançada e os pacientes com anormalidade genética do sistema de coagulação, as Trombofilias, ou até mesmo alterações anatômicas como ocorre na síndrome de Cockett.

Na fase crônica, após o primeiro ano, os principais problemas são causados pela inflamação da parede das veias que, ao cicatrizarem, podem levar a um funcionamento deficiente destes vasos sangüíneos.

As alterações locais mais comuns são pigmentação escura da pele, grandes varizes, inchaço permanente das pernas, eczemas e úlceras de perna, é chamado de síndrome pós trombótica.

A TVP é, muitas vezes, assintomática e o diagnóstico clínico pode ser difícil. O exame mais utilizado para o diagnóstico da TVP é o Ultrassom Doppler.

Compartilhe este artigo:
  • Facebook
  • Twitter
  • G+
  • Email

Tratamento

O tratamento é feito por medicamentos anticoagulantes (impedem a formação do trombo e a evolução da trombose) ou fibrinolíticos (destroem o trombo). Mais modernamente, e em situações selecionadas, o tratamento da TVP pode ser feito na própria residência do paciente.

Em casos muito sintomáticos, o paciente pode ser submetido a tratamento cirúrgico e na impossibilidade de utilizar medicamentos anticoagulantes ou fibrinolíticos, pode ser necessário o implante de Filtro de Veia Cava.

 

ENVIE SUAS DÚVIDAS